Você já ouviu falar que a primeira impressão é a que fica, correto? Por isso, na hora de arrumar sua loja, é preciso entender qual a melhor forma de organizar os produtos.  Muitos lojistas não sabem como os produtos bem distribuídos podem influenciar hora de compra dos clientes. Neste artigo, vamos abordar como fazer a exposição dos produtos da maneira correta e atrativa e como isso ajuda a melhorar o fluxo de clientes na sua loja. Observe abaixo:

 

 

Organização dos produtos

O primeiro passo é separar os produtos por categoria, como produtos de higiene e limpeza, acessórios e brinquedos, coleiras e guias, ração e petisco. Nunca coloque medicamentos e itens de higiene perto de alimentos, por exemplo. Ordene os produtos por marca, posicionando as mais procuradas em destaque. Procure separar os itens de cachorros, gatos, aves, peixes, etc. Essa organização é importante para que o cliente encontre com mais facilidade o produto que deseja, evitando ficar perdido na loja ou pegar o produto errado. Manter a casa em ordem, visualmente, permite que os clientes tenham uma excelente experiência e sensação de conforto visual. Organize seu espaço por categorias, grupos ou cores. Caso contrário, poderá ter perdas consideráveis no resultado de vendas.

 

Qual é o produto mais consumido da sua pet shop?



Essa informação é muito valiosa para você conseguir aumentar o fluxo de vendas. Posicionando os produtos em lugares estratégicos dentro do estabelecimento. O segredo é colocar o item mais vendido no fim da pet shop, dessa forma, o cliente vai precisar passar por todos os outros produtos até encontrá-lo, aumentando as chances de levar mais mercadorias do que ele estava pensando. O espaço imediatamente em frente à entrada principal não é o mais apropriado às exposições de vendas. O consumidor, ao entrar, em geral, anda de três a quatro metros antes de diminuir seus passos, a partir daí, começará a prestar atenção nas mercadorias.

 

Posição dos produtos

 

Um produto bem posicionado está localizado onde consumidor iria buscá-lo, ou seja, ele estará em seu ponto natural* de venda por categoria. Dessa forma, o consumidor pode encontrá-lo sem qualquer esforço.

*Os pontos naturais representam cerca de 88% das vendas por procura, que são onde os consumidores já estão acostumados a olhar para um produto específico.

 

Precificação

 

Levar ou não levar? Eis a questão.

 

Produtos não etiquetados ou com preço visível podem passar a impressão aos consumidores de serem caros e estarem pagando um valor mais alto. É importante que o preço esteja apresentado adequadamente ao consumidor, dessa forma, ele terá mais facilidade em decidir a compra. Caso contrário, o consumidor irá pensar com mais clareza ou deixar para levar depois, em vez de fazer a compra naquele momento, não importa se você organizou os produtos bem, chamou a atenção e desenvolveu o interesse de compra, as chances de compra serão praticamente nulas. Valorize os produtos certos. Examine os locais e a forma como ele está sendo exposto e apresentado ao seu consumidor. Invista em uma boa iluminação, expositores, displays, gôndolas, sinalizadores. São muitas opções e técnicas de marketing para atrair os consumidores, como o clip stripers, stoppers, wobblers, totens, cartazes, luminosos e etc.  Desse modo, você agrega mais valor ao produto e poder de sedução aos clientes. No final das contas, o custo desse investimento será bem menor que o retorno em vendas e em valor para a marca.

 

Preços em destaque são atraentes aos consumidores que buscam por preços mais baixos, além de estimular as compras por impulso.

 

Comparação de preços

 

Marca x ou y?

Quando se tem na mesma prateleira marcas que são fortes concorrentes próximas das demais, a melhor estratégia é criar um espaçamento entre elas. As marcas mais baratas não devem estar visualmente perto das marcas líderes, isso fará com que o consumidor compare os preços de forma desigual e acaba desvalorizando os produtos premium.

     

 

Altura das prateleiras

 

Posicione os produtos certos na linha de visão do público-alvo e no caso das pets shop é considerável colocar produtos atrativos para os animais, na altura do chão. E aos donos, na altura dos olhos. Isso aumentará as chances de capturar a atenção das pessoas.

O consumidor dificilmente passa pelos corredores olhando as prateleiras de cima a baixo, por isso, os produtos que se encontram na linha de visão dos consumidores atraem muito mais atenção do que os que estão abaixo (no caso de adultos), é o melhor ponto visual.

 

Organize as prateleiras em níveis:

 

Acima da cabeça possuem menor visibilidade.

 

Altura dos olhos é a área nobre, pois é o nível que mais aumenta as vendas dos produtos Coloque os produtos com melhor margem de lucratividade, as compras por impulso são maiores.

 

Linha da cintura, coloque aqui os produtos de grande procura, produtos de primeiro preço.

 

Abaixo da cintura esse nível já não faz mais parte do campo de visão dos consumidores, por isso é interessante que você coloque aqui os produtos mais baratos e que os consumidores sempre compram.

 

Áreas com melhor visibilidade:

 

– Na parte central das gôndolas;

– Quatro metros depois da entrada da loja;

– Pontas de gôndola;

– Ilhas baixas;

– Corredores largos;

– Perto de produtos de alta procura;

– Corredores de fluxo obrigatório;

– Prateleiras na altura dos olhos.

 

Reposição

 

A reposição dos produtos deve ser feita com agilidade e de forma datada. A falta de produtos gera um impacto negativo e pode levar o consumidor a trocar de loja, causando perda de vendas e má reputação. Em contrapartida, alguns produtos merecem uma exposição adicional, além do ponto natural na loja. Isso acontece quando estão em promoção, em fase sazonal, ou ainda quando a dupla exposição é próxima de uma categoria. Devem ficar na altura dos olhos os produtos mais lucrativos, as marcas líderes e os que passam imagem de inovação para a categoria.

 

Aplicando essas técnicas, é possível notar a diferença como os seus clientes irão olhar sua loja. Acerte no layout e aumente as vendas.